Nada como um feriado para bagunçar totalmente um calendário, mas tudo volta ao normal hoje… ou assim esperamos.

Eu fiquei de colocar um texto sobre o Eletrocáucaso na quarta-feira da semana passada, mas por motivos profissionais, não tive tempo para escrevê-lo.

Mas uma semana de atraso, é melhor que duas, por isso, mãos a obra.

Para se situar geograficamente, os países do Cáucaso são Armênia, Geórgia, parte da Rússia, do Irã e da Turquia e o Azerbaijão, onde nós ouvimos o Eletrocáucaso pela primeira vez.

Esse ritmo, resumidamente, é uma releitura da música tradicional produzida na região do Cáucaso, em que são incorporados elementos da música eletrônica, transformando tal som em algo mais palatável para os ouvidos mais jovens.

Essa música tradicional do Cáucaso tem influência turquica (não confundir com turca), já que a maior parte dos povos que ocuparam essa região são do ramo lingüístico turquico. Alguns dos instrumentos utilizados na tradição musical turquica são o alaúde e um tambor duplo chamado Dhol.

Segundo nosso companheiro Hidson Guimarães, os melhores eletrocáucasos são os da Geórgia, mas no nosso podcast você pode ouvir o programa do Azerbaijão que apresentou o Eletrocáucaso para o mundo.

E não se desespere, amanhã, Tiago Capixaba, nos entrega a outra parte do METAL DU MAU, ou um outro texto a escolha dele. E na sexta. Hidson Guimarães posta a letra e a tradução de uma música da banda Die Ärtze.