O movimento pendular de algumas cabeças trouxe um sinal interessante. Os olhares curiosos e os diálogos em busca de resposta atingiram uma dimensão reveladora. Invadir a Obra foi instigante. Bárbaros um tanto fora de foco em um ambiente pouco familiar. Bem, foi possível se sentir em casa em alguns momentos. Na prática o ambiente tem mais cara de garagem do que de casa, é verdade, mas entre os raros lapsos sonoros que permearam os sons das guitarras foi possível ver ecos de que nossa proposta causou impressões positivas.

Desafiar o predomínio do inglês em nosso cenário musical é o objetivo, mas engana-se aquele que pensa que somos opositores ferrenhos e xiitas do Império que se encontra a nossa frente. A intenção não é impedir ou se opor a qualquer tipo de som, banda ou língua; o Invasões Bárbaras apenas busca ampliar horizontes, lançar um olhar curioso sobre aquilo que se encontra na sombra, escondido em países que por algum motivo tem a sua balança musical desfavorável. Inglês é instrumento de pesquisa, útil para a comunicação com pessoas que se espalham pelos diversos cantos do mundo, presença freqüente em nossos Mp3 players.

Mas se você, assim como nós, não fica satisfeito apenas com o que colocam na mesa, seja bem vindo ao clube. A dispensa cultural reserva surpresas para todos nós.

Mordeorabo e Charme Chulo fizeram apresentações muito interessantes. Destaque para o momento moda de viola que encerrou a noite, show de bola. Obrigado aos amigos do Pílula Pop pelo convite e parabéns pela festa.

Até a próxima!!