Amy Winehouse italiana. É tentador fazer essa comparação entre Nina Zilli e a cantora inglesa, falecida recentemente. Pra começo de conversa, a música de ambas tem várias referências em comum, como o soul e o r&b. O visual retrô também reforça o paralelo. E Zilli não se incomoda com a comparação, pelo contrário, é algo que a deixa orgulhosa. No entanto, esse rótulo de Amy Winehouse italiana é simplista. Inclusive porque ela parece ser bem menos propensa a estampar as páginas dos tablóides do que sua contraparte inglesa. Mas é claro que as diferenças entre ambas não se limitam a isso.

Maria Chiara Fraschetta, nome de batismo, adotou o nome artístico Nina Zilli em 2009 para homenagear Nina Simone (“a mulher com os maiores atributos da história”, diz ela) e o sobrenome de solteira de sua mãe. Antes disso, Nina cantou nos grupos The Jerks, isto enquanto viveu na Irlanda, e Chiara&Gliscuri, onde obteve sucesso modesto, chegando a fazer uma turnê pela Europa com o grupo. Também já passou pela televisão, mas mesmo nesse período esteve ligada à música: foi VJ da MTV italiana em 2001 e co-apresentou o programa Roxy Bar.

EP

Mas não era na TV que Zilli imaginava o futuro de sua carreira, embora essa experiência deve explicar a quantidade de videoclipes que ela possui. Seu desejo era mesmo o de cantar. Em 2009, conseguiu lançar seu primeiro trabalho solo, o EP homônimo Nina Zilli, cantando uma mistura de soul, reggae & r&b e vários hits em potencial. O single “50mila”, em parceria com Giuliano Palma, obteve boa execução nas rádios e foi depois incluído na trilha sonora do filme “O Primeiro que Disse” (“Mine Vaganti”, no original). Além das canções próprias, o EP incluía também “L’amore Verrà”, versão em italiano de “You Can’t Hurry Love”, sucesso das Supremes na década de 60.

San Remo

O passo seguinte foi dado em 2010, no Festival da Canção Italiana, aqui mais conhecido como Festival de San Remo. Zilli participou com a música “L’uomo Che Amava Le Donne” na categoria “Sanremo Nuova Generazione”, onde conquistou o 3º lugar. Além disso, recebeu o prêmio da crítica e o de melhor apresentação ao vivo.

Sempre Lontano

Pegando carona na exposição obtida em San Remo, o álbum Sempre Lontano foi lançado em fevereiro de 2010, com as faixas do EP do ano anterior mais algumas músicas inéditas, incluindo a própria “L’uomo Che Amava Le Donne”, com que havia concorrido em San Remo (e ganhou novo clipe para a divulgação do álbum). Nina continuava sua fábrica de hits com essa e outras músicas, entre elas “Baccio D’a(d)dio”.

Pro Evolution Soccer 2011

Depois do sucesso dentro da Itália, faltava para Zilli conquistar projeção fora da bota. Ela acabou acontecendo com uma ajuda da Konami, que incluiu duas de suas músicas na trilha sonora do jogo Pro Evolution Soccer 2011, lançado em outubro de 2010: “50 mila” e “L’inferno”.

E nem colocamos todos os clipes aqui…