Quando pesquisava Tailândia, encontrei uma banda de rock como há muito não ouvia. Um rock bem marcado, com guitarra agressiva, do jeito que eu gosto. Essa banda era o Taxi.

O cd degustado na época era o Full Option, o terceiro da banda, lançado em 2003. Então, ao ver que eles haviam lançado o cd Exit, em 27 de fevereiro de 2007, me enchi de expectativas para ouvir essa banda que já havia entrado para o rol das favoritas deste que vos fala.

A primeira coisa a se reparar neste novo cd, é que a banda mudou de nome. Como muitas banda no mundo também se chamavam Taxi, eles colocaram o nome do vocalista na frente e agora atendem pela alcunha de Kob Taxi.

O Exit (เอ็กซ์ซิท) é uma experiência que requer, no mínimo, duas audições, em momentos diferentes. Eu caí na besteira de fazer uma resenha dele para o quadro “Saído do forno” tendo ouvido o cd apenas 3 vezes. A primeira impressão que se tem, é que o Taxi volta com tudo, principalmente para a faixa hit “Hero”. Levado pela introdução, me empolguei ainda mais…

Aí vem o primeiro estranhamento. As Faixas “Èk sít” (ไม่สบาย) e “Gòt jai mâi gòt kor” (กอดใจไม่กอดคอ), que seguem “Hero”, apresentam um som mais tranquilo, quase romântico. Quando cheguei a “Krai” (ใคร) achei que a energia da banda tinha se dissipado no espaço durante esses 4 anos.

Na segunda metade, o cd volta a pesar. Com um respiro nas faixas 8 e 9, chegamos a faixa mais pesada da história do Taxi, “Nen-koon” (เนรคุณ). O flerte com o Heavy metal é claro na introdução. Para finalizar, temos um retorno ao som romântico numa faixa de voz, piano e violino, “Nueng buak nueng pen nueng” (หนึ่งบวกหนึ่งเป็นหนึ่ง).

A impressão que fica é de que o Taxi ainda está tentando achar o seu som, apesar de já ser uma banda de qualidade. Os experimentos sonoros de Exit geram uma falta de unidade dentro do cd. E para você que está curioso para ouvir os caras, abaixo vai o clipe da faixa 2 de Exit, Hero.

http://youtu.be/7FDsSaZihmE