A. R. Rahman nem precisou se submeter a um jogo de perguntas e respostas para se tornar um vencedor. Na 81º edição do Oscar, o músico indiano conquistou grande notoriedade pela produção da trilha sonora do filme Quem quer ser um milionário?. Com dez indicações ao Oscar, o filme conquistou oito prêmios. Dois deles concedidos a A. R. Rahman, nas categorias de melhor trilha sonora e melhor canção original, com a música “Jai Ho”.

E não foi só com Oscar que a trilha de Quem quer ser um milionário? coloriu de dourado a estante de Rahman: o indiano conquistou também um Globo de Ouro na categoria de melhor canção original.

Como ele conseguiu tanto sucesso?
A) Ele trapaceou?
B) Ele é sortudo?
C) Ele é um gênio?
D) É o destino?

Nenhuma das anteriores. A. R. Rahman tem um longo histórico em produção de trilhas cinematográficas, tão longo quanto a quantidade de filmes produzidos por Bollywood. Em 5 anos (de 1991 a 1996), 26 filmes foram musicados com melodias deste indiano. De lá até a cerimônia do Oscar, o multipremiado compositor já levou para casa a surpreendente marca de 92 prêmios.

Rahman saiu unânime da cerimônia no teatro Kodak. Ele foi premiado em todas as categorias a que foi indicado, mas, em melhor canção original, duas de suas músicas concorriam entre si. Além da premiada “Jai Ho” (expressão hindi que significa “vitória”), “O Saya” também foi indicada. Além de Rahman, Peter Gabriel e Thomas Newman concorriam à estatueta com a música Down to Earth (Wall-E), mas o compositor indiano só perdeu para ele mesmo.

“O Saya” foi coproduzida por Maya Arulpragasam. Também conhecida como M.I.A., Maya é uma cantora britânica com raízes no Sri Lanka. Em 2008, no auge da carreira, anunciou em um show nos EUA que pretendia dar um tempo na música por estar exausta. Para alegria dos fãs, Maya compôs e cantou em três músicas da trilha sonora de Quem quer ser um milionário?, que ao todo contém quinze canções.

Assista, abaixo, ao vídeo da canção mais original do Oscar desse ano. E não só a música é original, como também a versão “bollywoodiana” que os atores do filme dão à coreografia de Thriller, do Michael Jackson. Vale a pena!