Na noite de ontem, rolou mais uma edição da Festa Pílula Pop. Mais uma vez n’A Obra, mais uma vez tendo este interlocutor como DJ. Foi bacana, como sempre é, e ao abrir a noite, tive bastante tempo pra aplicar um pouco de barbaridade no público da casa.

Com a promoção que o site Pílula fez, tinha bastante gente ouvindo as músicas para derrubar o império, que reinaram absolutas antes da primeira banda. Depois, intercaladas com outros hits conhecidos, deram as caras no intervalo e depois da segunda banda.

Desta vez, um público bem menos recheado de conhecidos, o que é uma tendência natural. À medida que os projetos e as festas crescem, vão tomando vida e atraindo gente nova. A mesma coisa com as músicas. Tivemos caras bem conhecidas, como Seeed, Plastilina Mosh, Genialisted, mas outros grandes ficaram de fora desta vez. Vive La Fête fez sua estréia n’A Obra, junto com a banda 110. Fizeram bonito também o Bratri Orffove e o Lost Acapulco. Mas quem parece ter nascido pra tocar lá é o holandês Spinvis. A banda turca Duman foi, mas acabou quietinha no cd depois das mudanças no meu set. Mas ela – e vocês – não perdem por esperar. Até a próxima festa!