Yotuel (esq.), Ruzzo e Roldán (dir.) e a marcante presença da bandeira de Cuba

Energia para encher um ginásio. Quando o Orishas entrou no palco do Chevrolet Hall no último sábado, uma relação interessante entre banda e público começou a se desenhar. A casa ainda estava um tanto vazia, mas à medida que as vozes de Roldán, Ruzzo e Yotuel começaram a ecoar, as reações dos presentes mostravam que havia algo especial no local.

Com uma apresentação ancorada nas músicas do novo álbum, Cosita Buena (2008), e uma presença de palco marcante, o grupo demorou muito pouco para contagiar o público. “É muita energia. Muito bom o show. É a primeira vez que vejo eles no palco e estou impressionado”, afirmou Alan Jorge, acompanhado pela mãe e colado na grade de proteção para gravar algumas imagens com seu celular.

O hip hop multifacetado do Orishas estava em sintonia com a diversidade das pessoas que compareceram ao evento. Aos poucos, a casa foi ficando cheia, em uma curiosa mistura de estilos, tribos, cores e idades.

“É diferente. Acho que são os instrumentos mesmo. É demais, coisa assim de outro mundo”, contou Henrique Almeida, integrante do projeto Stance 333, dedicado ao hip hop e com ações no Viaduto Santa Tereza.

Música com espaço também para gritos e suspiros das fãs. Roldán permanecia um pouco mais fixo no meio do palco, mas Ruzzo e especialmente Yotuel levavam as fãs ao delírio com danças e reboladas. As irmãs Patrícia Martins e Carol Martins pularam na grade, aos gritos, quando Yotuel desceu para cumprimentar o público, já na metade do show.

“O som é perfeito. Acompanho a banda há uns oito anos e adoro. Ver ao vivo é muito bom”, disse Patrícia, para depois declarar suas preferências: “Gosto mais do Ruzzo”. Carol tinha mais histórias para contar: “Fiquei com o Yotuel, pode escrever aí. Foi um pouco antes do show”, disse, bem empolgada. “A banda é ótima. Estou amando ver eles aqui”.

Passeando por músicas do novo disco, como o já sucesso “Bruja”, a apresentação teve espaço também para clássicos da banda como “537 C.U.B.A.”, “El Kilo” e “Represent”. A sintonia construída entre banda e público ficou clara nas palavras de Yotuel, já no final do show. “Belo Horizonte, eu não esperava tanto. Vocês são o melhor público de todo o Brasil”.

(Fotos: Gualter Naves/Light Press)