Com títulos bem bolados e um rock bem trabalhado, o Happy Avenue abriu seu espaço na cena musical chinesa. São figuras carimbadas nos redutor alternativos de Pequim e fazem muito sucesso com os jovens.

Juntos desde 1999, o grupo tem a honra de ter a mais famosa e multi-tarefas vocalista do rock chinês, Wú Hóngfēi. Eu disse multi-tarefas porque além de cantora, ela foi jornalista, escritora, tem mestrado em literatura chinesa e é até engenheira ambiental.

Os temas abordados pela banda variam muito, assim como as músicas. É muito difícil enquadrar o Happy Avenue, ou Xìng Fú Dà Jiē, para os íntimos da língua chinesa, em qualquer gênero. Alguns dizem que é punk, outros que é avant-gard, e tem até quem os chame de góticos.

Todas as letras são compostas do Wú e vão da história de uma laranja que quer ser uma maçã, passando pela infância de abandono no hit “Liu Mang”, até chegar na história da sereia que desiste da cauda para casar com um humano, ou melhor dizendo, a história do peixe que amava Xiaolong. Os vocais também acompanham a salada. Variam de suave, quase como numa canção de ninar, até os gritos cheios de emoção.

Para conhecer o som da banda é só clicar no nosso simpático ovinho à esquerda e dar um pulo no nosso podcast. Lá estará o programa do invasões com o sucesso “Liu Mang”.