Uma das principais revelações da música tcheca na passagem de 2005 para 2006, a banda Bratři Orffové faz um som que, numa tentativa frustrada de se economizar em palavras, poderíamos definir como tão longínquo quanto atemporal, tão universal quanto bucólico. Electrofolk, neofolk, folktronica: não faz diferença o termo utilizado para definir o trabalho dos Irmãos Orff, em que a temática do folclore tcheco não esgota o conteúdo da banda, mas, sim, funciona como uma saída para ir do particular ao universal. E para isto basta vivenciar o primor com que o grupo busca novos arranjos e sonoridades para, aliado à poesia quasi dadaísta das letras, transmitir a sensação do transcendental, do desligamento das coisas rotineiras que não exige necessariamente a fuga para campos distantes, como bem demonstra o clipe da canção “Na hadím Ocase”. Destaque também para a ótima “Vzduchem Piad” e para a releitura da canção folclórica do povo tártaro “Onyta Almyim”.

A discografia ainda reduzida não foi obstáculo para que Bratři Orffové invadisse a semana da República Tcheca nas pílulas do programa Invasões Bárbaras, passando também a ser presença no setlist dos DJs Bárbaros, por ser o tipo de música eletrônica de que até o Costoli gosta. Conhecer e ouvir o trabalho da banda nos deixa mais ansiosos por mais um álbum repleto de combinações musicais reconfortantes e inventivas.