O hip hop surgiu no fim da década de 60 nos subúrbios de Nova Iorque. Cerca de vinte anos depois, impulsionado pela exposição no cinema hollywoodiano, foi a vez do ritmo desembarcar em terras portuguesas. MC, DJ, break-dance e grafite, quatro elementos que se infiltraram nas periferias das grandes cidades lusitanas, principalmente Lisboa e Porto. Nascia assim o hip hop tuga.

As canções no início eram interpretadas em inglês, mas logo passaram a ser cantadas em português. A popularização do ritmo foi algo que demorou um pouco mais. Um tanto tímida na década de 90, a cena esquentou de vez no início do século. A sonoridade atual do hip hop português sofreu algumas mudanças e caiu no gosto do povo, das gravadoras e da mídia. As rimas e falas típicas do rap ganharam contornos mais suaves ao serem misturados com ritmos africanos e reggae.

Na foto uma das principais bandas que integram a cena do hip hop portuga. O grupo Da Weasel (que merece um texto à parte) é inclusive responsável por um das músicas mais pedidas do Invasões Bárbaras: “Dialectos de Ternura” (que também merece um texto à parte). Até a próxima!!