17-de-64

Confronto capitaneado pelas mulheres pra fechar este dia de música/futebol.

Defendendo o time russo, temos a banda/cantora Tchitcherina. Banda porque tem 5 integrantes, cantora porque leva o nome da vocalista, Iulia Tchitcherina, tal qual um Bon Jovi desses da vida. E a música é “Tu-lu-la”, com uma sonoridade pop-rock, ao estilo dos anos 90, época em que a seleção russa teve seu último brilhareco em copas, quando Oleg Salenko sapecou 5 gols em Camarões pra se consagrar artilheiro da Copa de 94. Desde então, ouvimos falar da Rússia mais pelos vídeos bizarros do YouTube provenientes desse canto do globo do que qualquer outra coisa.

A Coreia do Sul adentra a cancha com a saudosa Rumble Fish (praticamente todas as bandas bacanas da Coreia hoje se encaixam na categoria “saudosa”, mas enfim). Bizarramente, depois do fim do grupo em 2010, a vocalista Choi Jin Yi seguiu em carreira solo usando o nome Rumble Fish. Já imaginou Humberto Gessinger se referindo a si mesmo como Engenheiros do Hawaii, enquanto se apresenta sozinho no palco? Mas vindo da Ásia, bizarrices como essa são tão naturais quanto o sol nascer e se por todo dia. Voltando à música, o Rumble Fish, a banda, vem com “Close Your Eyes”, uma baita mistura de funk, rock e sei lá mais o quê, do álbum Swing Attack, de 2004.

O jogo

A verdade é que não tenho menor ideia da situação em que cada equipe se encontra. Existe um ou outro nome conhecido em cada lado, que jogam nos principais campeonatos nacionais da Europa, mas nenhum grande craque dessas equipes. A tendência eurocentrista que prevalece no futebol tende a apontar a Rússia favorita (apesar do país não ter feito nada de relevante no futebol desde o fim da União Soviética), mas vou chutar a favor dos sul-coreanos, bem mais talentosos quando o assunto é música: 2×0.