Por motivo de festa maior, a postagem sobre o Arsenal não pôde ser publicada na semana passada. Mas já que festa é com o Arsenal mesmo, vamos ao que interessa, então.

Taí um grupo que indiscutivelmente tem a cara do Invasões. Criada pelos produtores belgas Hendrik Willemyns e John Roan, Arsenal faz um som que tem muito de pop, algo de música eletrônica, um pouco de hip-hop e uma diversidade de temas e letras que credencia a banda a uma ocupar uma vaga debaixo do guarda-chuva world music.

Cada canção da banda é uma produção internacional. Há a presença do vocalista convidado, e este pode ser da própria Bélgica, dos Estados Unidos, da China e, destacavelmente, do Brasil.

O destaque não é por acaso: os maiores sucessos da banda são em bom português brasileiro, cantados na voz marcante do soteropolitano residente na Bélgica e professor de capoeira Mário Jorge Vitalino dos Santos. A música “A Volta”, que praticamente lançou a banda nas pistas ao redor do mundo, quebrou paradigmas também no Invasões Bárbaras: foi a primeira música principal cantada em português na nossa pílula de rádio. Isso muito antes de o Capixaba fazer “Dialectos de Ternura”, da lusitana Da Weasel, grudar em nossa cabeça que nem chiclete velho.

Outro grande sucesso produzido pela dupla de belgas e cantado em português é “Saudade”, um lamento que traduz bem a poética presente na última flor do Lácio. Mas vamos conferir um trecho da letra de “A Volta”, essa com temática fortemente soteropolitana. Seria uma espécie de eletroaxé? É claro que o som tem também um colorido bem bossa-nova, vale a pena acompanhar depois em nosso podcast com o dia do Arsenal na semana da Bélgica.

Mané tá voltando da pesca, tapira na beira do mar
Mas antes de aportar no Rio Vermelho, vai saudar Iemanjá
Mulher muito querida, uma deusa ciumenta.

E isto é tudo sobre a banda belga Arsenal, apesar de termos falado quase que só de Brasil e de língua portuguesa. O que não deixa de ser válido, visto que é muito gratificante encontrar uma proposta tão aberta a culturas, a técnicas e inovações ao redor do mundo como a de Hendrik Willemyns e John Roan. No mais, como não quero deixar dívidas com meus leitores do blog Invasões Bárbaras, pago com juros e correção monetária: amanhã posto a letra da música Nostress, da banda polonesa Happysad, que foi abordada no meu último post aqui no blog.