Os ventos amenos da primavera começam a esquentar o hemisfério norte e a temporada de festivais de música começa na Europa!!

Foi nesse espírito que artistas variados se apresentaram no Belvárosi Fesztival, em Budapeste, lotando as praças do centro da cidade em três dias de programação intensa e gratuita!

Na sexta-feira, os verdadeiros destaques foram os Kürtőskalács – massa doce que vai na brasa em grandes rolos e recebe cobertura de caramelo – já que o som pop de The Carbonfools não chamou muito minha atenção. A banda está fazendo muito sucesso com o público juvenil na Hungria e foi uma das finalistas  para o prêmio de melhor banda húngara do European Music Awards da MTV em 2011. A surpresa mesmo ficou por conta do “Csend-diszkó”, a discoteca silenciosa húngara: todos receberam um fone de ouvido para curtir os sets de dois grupos de DJs sem incomodar os vizinhos da praça Szabadság (Liberdade).

O sábado foi mais animado ao som roqueiro da Péterfy Bori & Love Band e o hip-hop-funk-reggae do Irie Maffia.  Péterfy Bori é uma atriz bastante conhecida nos palcos húngaros, que começou sua carreira musical solo com a Love Band em 2007. Já Irie Maffia ficou famosa na Hungria com o lançamento do álbum “Fel a kezekkel!”, de 2007, e agora investem em uma carreira internacional: em 2010, eles relançaram o primeiro álbum traduzindo para o inglês “Hands Up!” e lançaram um álbum de inéditas “What’s my Name?!”.

 

A lua cheia de domingo foi perfeita para dar o clima para o som de Quimby, acompanhado de alguns Lángos (um pão frito com recheios variados). Idealizada pelos irmãos  Tibor e Endre Kiss em 1991, a banda lançou seu décimo-quarto álbum no ano passado. O álbum “Instant Szeánsz”, gravado ao vivo, garantiu que Quimby contiunasse entre as bandas mais importantes da cena do rock alternativo húngaro.

 Kürtőskalács e Lángos: duas das dezenas de estrelas do  Belvárosi Fesztival