Zece Prajini é uma aldeia. Se incluída num mapa fosse, seria um ponto minúsculo dentro da Romênia, quase na fronteira com a Moldávia. E foi lá, num canto escondido do Leste Europeu, que um produtor alemão encontrou escondida uma enorme riqueza musical.

Em 1996, o alemão convenceu músicos locais a saírem pelo mundo mostrando sua música. Começava aí a trajetória internacional da Fanfare Ciocarlia. O que essa banda tem de tão especial é a conservação de sua origem cigana, traços especiais das raízes e da cultura balcânicas convertidos em música. Parece haver um consenso na Europa de que as apresentações dos aldeões romenos são algo inexplicável, tamanha sua energia e empolgação.

Uma história interessante é a de que o sucesso e as viagens incomodaram um pouco os 12 membros da banda. Tudo por causa da saudade dos seus familiares… e da falta que sentem de tocar nos casamentos da aldeia! E esse espírito vem conquistando o mundo, com uma mistura de simplicidade e animação festiva.

Na noite de hoje, temos a oportunidade de ver o choque da metrópole e da aldeia. O clipe que passamos no Agenda esta semana mostra a Fanfare Ciocarlia em Londres e Tóquio para apresentações, e na aldeia romena, entre um ensaio e outro. A partir das 19h desta quinta, o “choque de civilizações” entre as metrópoles e a pequena Zece Prajini pode ser visto na Rede Minas, com reprise à 1h.